11 outubro, 2005

Oposto e complementar...

Quantas vezes não somos confrontados com mal-entendidos?... e quantas vezes somos tão mal-entendidos que nem sequer temos oportunidade de nos justificar?... Efectivamente, por vezes há equívocos provocados por conflitos entre aquilo que se diz (ou se quer dizer) e aquilo que se ouve (ou se pensa que foi dito)... Em jeito de alerta pretendo deixar aqui exposta uma reflexão acerca de uma situação algo comum, nomeadamente o facto de algo que se diz como complementar de outra coisa (e normalmente se diz 'o contrário') na verdade é entendido como oposto. Por exemplo, quando se diz "não gosto de ti!" a outra pessoa entende "odeio-te!" quando, na realidade, isso não está a ser dito. Numa analogia geométrica, se tivermos um segmento de recta no qual se encontra, numa extremidade o 'odiar' e na outra o 'gostar', que são sentimentos de certa forma opostos, verificamos que nos pontos intermédios conseguimos ter uma data de sentimentos também eles intermédios. Se puséssemos ordenadamente numa linha recta um conjunto de alimentos por ordem de preferência iamos ter numa extremidade uns que odiamos e na outra uns que gostamos... no meio ficariam uns que "não gostamos nem deixamos de gostar". Acho que cheguei ao ponto onde queria... Não devemos levar tão a peito (ou se acharmos necessário pedir para ser mais específico) quando alguém nos diz "eu não gosto de ti!" porque isso pode só querer dizer que não estamos na extremidade?! Porque de facto o complementar de 'branco' não é 'preto', ou seja uma coisa que não é branca, pode ser preta, mas também pode ser azul, ou vermelha, ou amarela, etc., etc. (Mas também pode ser preta!)...
Sejam felizes!
Cheers

4 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
christophertaft9240 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.